Golden Frieza vs Toppo Torneio do Poder ep. 125

Mais um dia de ‘análise’ de episódio de Dragon Ball Super, hoje é sobre o 125 de Dragon Ball Super, que está disponível na Crunchyroll desde ontem (27) com legendas em português.

Como o título e as sinopses divulgadas haviam revelado, ele seria focado em Toppo, líder da Tropa do Orgulho do Universo 11, e sua luta contra o Androide 17 – melhor representante do Universo 7 até agora – e Freeza – o Imperador do Mal. O que veríamos é um episódio finalmente saindo da mesmice, trabalhando outros personagens interessantes.

Dragon Ball Super – Episódio 125 [Contém Spoilers]

O capítulo 125 teve uma ótima animação – o que deveria ser comum, mas infelizmente não é -, bem semelhante ao 122 – quando Vegeta enfrentou Jiren. Assim como nos últimos episódios, o início do 125 também mostrou mais um pouco da batalha entre Goku e Vegeta vs Jiren, por um curto momento.

As cenas da luta entre eles não acrescentam em nada no desenrolar da trama do episódio, porém vem servindo para deixar claro que o lutador mais forte do torneio ainda não está lutando a sério, pois sequer chegou a se cansar mesmo sendo atacado em dupla, é como se fosse um ‘aquecimento’ para a verdadeira batalha que ainda está por vir.

Dragon Ball Super episódio 125
(Reprodução)

Androide 17 vs Toppo

Androide 17 Toppo Torneio do Poder ep. 125
(Reprodução)

A volta do Androide 17 foi um dos grandes acertos de Dragon Ball Super, e o personagem vem sendo muito bem trabalhado até então. Na batalha contra Toppo – que começou ‘morna’ -, ele sabia que não teria chances lutando corpo a corpo, pois reconhece a diferença de poder que existe entre os dois.

Por ser muito inteligente, 17 ‘usou a cabeça’ e pensou em uma estratégia para segurar o guerreiro do Universo 11 na arena durante os 6 minutos que faltam para o fim do Torneio do Poder, atacando-o sem parar com suas esferas de energia. Assim como foi apresentado desde Dragon Ball Z, os Androides possuem energia inesgotável, ou seja, não se cansam, então ele usou exatamente isso a seu favor.

Mas obviamente não seria tão fácil, Toppo conseguiu se esquivar dos golpes depois de analisá-los, pressionando 17 – ambos se enfrentando com seus golpes de Ki – e quase o jogando da arena. No momento que estava prestes a acontecer, eis que surge Freeza (em sua forma Golden).

A chegada de Freeza

Golden Frieza Torneio do Poder ep. 125
(Reprodução)

17 estava perdendo na disputa de Ki – e prestes a cair -, então, Freeza aparece sorrateiramente atrás de Toppo, e o ataca desprevenido com seus ‘tiros de laser’, algo que já se espera do maior vilão da franquia Dragon Ball, que não possui nenhum orgulho em fazer uma luta justa, seu único objetivo é vencer, não importa a maneira.

Com 17 e Freeza – atacando covardemente pelas costas – lutando juntos, Toppo começa a ser pressionado e, aparentemente, estava exausto e seria derrotado, fazendo com que Freeza começasse a humilhá-lo com seus discursos de superioridade – o chamando de lixo -, menosprezando seu oponente principalmente pelo fato do uniforme do líder da Tropa do Orgulho ter sido completamente destruído – algo que ele mostrou se importar desde o torneio de exibição para os Zen’oh.

O deus da destruição Toppo

Toppo deus da destruição Torneio do Poder ep. 125
(Reprodução)

Toppo se irrita e, finalmente, começa a liberar seu verdadeiro poder, vendo que o que está em jogo ali no momento é mais importante que seus códigos morais. O interessante de tudo isso, é que o personagem não adquiriu aquela força absurda naquele momento por raiva ou necessidade de ficar mais forte – como aconteceu com Goku e Vegeta – como vários clichês do anime; ele já a possuía devido ao seu treinamento com Marcarita – e por ser o candidato a deus da destruição de seu universo -, mas por ser um guerreiro da justiça, sempre se continha para não se exceder e humilhar – ou matar – seus adversários.

Depois de liberar seu verdadeiro poder, surge o deus da destruição Toppo, com um design e personalidade completamente ‘badass’, cheio de músculos e muito maior que sua forma normal – com uma cor diferente também -, além do olhar intimidador e da aura de um deus rodeando todo o seu corpo – deixando até mesmo Beerus espantado.

Mesmo após Toppo se transformar, Freeza continua a zombar dele, não conseguindo enxergar nada demais no que estava a sua frente – por não ser capaz de sentir o Ki de um deus -; porém, o lutador mostra seu poder absurdo lançando um Hakai no imperador do mal – que desdenha no início, e acha que conseguirá segurá-lo, mas some após a explosão que parte a arena ao meio.

17 tenta confrontá-lo novamente – sempre de modo estratégico -, mas a diferença de poder entre os dois estava ainda mais absurda, e agora Toppo tem em volta de seu corpo uma aura que destrói qualquer coisa que o toca.

É claro que o Androide 17 estava em sérios apuros, e provavelmente seria eliminado por um Hakai, mas Freeza retorna todo machucado – e extremamente bravo -, fazendo uma clara referência a saga Saiyajin, de quando foi atingido por uma Genkidama. Ele usa todas sua força para criar uma esfera de energia gigantesca capaz de destruir diversos planetas ao mesmo tempo – além de novamente usar seu discurso de superioridade -, mas Toppo a destrói facilmente – com um Hakai do tamanho de uma bolinha de gude – e então, humilha o Imperador do Mal como ele poucas vezes foi humilhado – mais uma referência da primeira luta de Freeza contra Goku -, desferindo diversos golpes enquanto o segura e o chama de lixo, algo que, a propósito, foi ótimo, ver Freeza provando de seu próprio veneno. Essa com toda certeza foi uma cena épica, e um dos melhores momentos do Torneio do Poder de Dragon Ball Super, aquele típico caso onde o “feitiço se volta contra o feiticeiro”.

Depois de ser derrotado, Freeza foi chutado ‘para fora’ da arena e seria eliminado, mas quando estava prestes a cair, foi salvo por uma pedra que o Número 17 jogou nele, ficando na bem beirada, desacordado.

Com o episódio praticamente finalizado, não houve mais nada de tão impactante, se resumindo ao Androide 17 tentando achar alguma brecha ou algum ponto fraco no novo poder de Toppo, mas foi em vão.

Episódio em geral

De modo geral, o episódio 125 foi um dos melhores da nova saga (Torneio do Poder), desde a animação ao roteiro, pois além de focar em personagens que não seja Goku – que pouco apareceu -, não deixou o clímax para o final como geralmente acontece.

Toppo se transformou antes da metade do episódio – e não foi graças ao poder da superação, foi graças a algo que ele já escondia, mas não pretendia usar -, aumentando a tensão que já existia entre os membros do Universo 7, que agora terão que lidar com não apenas um, mas sim dois oponentes formidáveis. E claro, não é todo dia que se vê Freeza sendo completamente humilhado – e que humilhação!

 

REVER GERAL
Dragon Ball Super - Episódio 125