Ao que parece, a Netflix está apostando bastante na sua primeira série original espanhola, que em sua estreia foi a mais ‘maratonada’ na Espanha; há mais de 8 meses.

A segunda fase de Las chicas del cable, no Brasil, As telefonistas, foi liberada no dia 25 de dezembro de 2017, com o intuito de se aproveitar o feriado e férias para “consumir” os seus 8 capítulos.

(A partir daqui, o texto contém alguns spoilers necessários para a explicação da temporada).

E como segue Las chicas del cable?

“En 1928 las mujeres éramos algo así como adornos que se llevaban a las fiestas para presumir de ellos. Objetos sin poder de opinión ni decisión. Es cierto que la vida no era fácil para nadie, pero mucho menos si eras mujer. Si eras mujer, en 1928 ser libre era algo que parecía inalcanzable. Porque para la sociedad las mujeres solo éramos amas de casa, madres, esposas.”

A temporada começa avançando no tempo, passando a 1929, dando continuidade à primeira temporada.

Um acontecimento inicial marcante nos leva logo ao mistério em que Lidia (Blanca Suárez), Marga (Nadia de Santiago), Carlota (Ana Fernández) y Ángeles (Maggie Civantos) se desfazem de um corpo em um rio, ficando as perguntas: quem era? por que o fizeram?

Além disso, também precisamos nos situar e entender o que aconteceu com as personagens principais, com a companhia telefônica e etc..

Novos personagens

Sebastián Uribe, Alexandra e Cuevas As Telefonistas Netflix
(Netflix/Reprodução)

Sebastián Uribe (Ernesto Alterio) é apresentado como novo diretor geral da companhia; não se explica muito sobre o personagem e, aparentemente, não fizeram muita questão, ao menos por enquanto.

Entre as “caras novas”, Alexandra (Andrea Carballo) irmã de Sebastián, e o policial Cuevas (Antonio Velázquez) também passam a fazer parte da trama.

Marga, Carlota, Sara e Ángeles

Marga, Carlota, Sara e Ángeles As Telefonistas Netflix
(Netflix/Reprodução)

Marga, segue aprendendo a viver na “cidade grande”, se reafirmando e convivendo com seus problemas – ainda ao lado de Pablo (Nico Romero). Carlota, cada vez mais ativista, enfrentará os líderes da companhia para garantir seus direitos, e segue apoiando suas companheiras. Sara viverá uma revolução pessoal, buscando cada vez mais entender o seu eu, centrada especialmente na sua identidade sexual. Ángeles passa por cima de alguns dos seus problemas da temporada passada, e enfrenta o “fardo” de um segredo. Por um lado, feliz em poder finalmente viver, por outro, o medo de tudo ser descoberto.

Lidia

Lidia As telefonistas
(El Palomitrón/Reprodução)

Lidia permanece na companhia, agora como secretária da direção, lutando por um melhor cargo (que foi prometido a ela), e bastante ativa sobre os direitos dos demais funcionários.

Também acompanhamos o desenrolar de sua relação com Carlos (Martiño Rivas) ou Francisco (Yon González), que assumem papéis de repúdio à personagem, mas que fica claro, ao menos por parte dela, que não consegue evitar os sentimentos em relação a eles -, fica a dúvida sobre por qual é maior.

E valem a pena as quase 8h da segunda temporada de Las chicas del cable?

Se você gostou do tom que a série carregou em sua primeira temporada, da sua forma de mensagem feminista, da moda dos anos 20 e outros aspectos, a segunda temporada não vai (necessariamente) te decepcionar.

Agora, se você já pensava que a série era óbvia e que, definitivamente, perdeu a oportunidade de abordar de forma mais intensa aspectos da época, sendo menos telenovela, uma dica: não tente nem ao menos começar a parte 2.

No geral, a primeira parte – que também possui alguns aspectos fracos, é menos cansativa. Foram poucas as novidades, e se “arrastou” em um mesmo tema nessa segunda fase, sem dar a chance de muitas novas discussões.

Mas se ainda está em dúvida, e tenha algum tempo de sobra, tente assistir. Até porque, a série já tem uma terceira temporada confirmada para esse ano de 2018 -, e quem sabe, alguns temas sejam melhores abordados!

Confira o trailer da segunda temporada:

E você, o que acha da série?