Ranking melhores personagens de La Casa de Papel

“Estou procurando pessoas que não têm nada a perder”​;​ Desde o primeiro momento​ da série La Casa de Papel, que retrataria o maior assalto da Espanha​, o diálogo entre Tóquio e o ​​’​El ​Profesor​’​ nos dá uma id​e​ia de que tipo de pessoas ​fariam ​parte d​a trama. Cada um foi selecionado de acordo com sua ‘especialidade’: falsificações, roubo, força, conhecimento em informática​, entre outros.

​Um ponto que o Professor deixa implícito, é que para que o plano desse certo, todos eles precisariam seguir as regras. Afinal, após tantos anos planejando cada detalhe do assalto, não deveriam botá-lo a perder.​ ​E assim, todos conseguem entrar na Casa da Moeda logo no primeiro capítulo, depois de todo o treinamento e estudos em Toledo.

​Ainda estamos aguardando a segunda parte da temporada, que será liberada pela Netflix em abril. Mas com base nos 13 primeiros episódios, ​já ​é possível ter algumas conclusões sobre os personagens​, do melhor ao que gostamos menos. ​​​[contém spoilers]​

​Ranking personagens de La Casa de Papel​:​

8º – Denver

Denver La Casa de Papel
(Antena 3/Reprodução)

Denver, cuja principal função é ser filho de Moscou. Com diferentes reações, ele nos mostra seu lado mais ‘jovem’ e explosivo, até o mais gentil e bondoso. Mas no geral, o vejo como uma bomba relógio, o que claramente é um contraponto interessante para uma história que precisa de reviravoltas, se tornando mais emocionante, mas que não fazem desses personagens (no caso, ele e Rio), os mais queridos da trama.

7º – Rio

Rio La Casa de Papel
(Antena 3/Reprodução)

Rio, um adolescente superdotado, que se tornou o chefe técnico de uma empresa de segurança ainda muito jovem. Mas logo se envolveu em ‘trabalhos sujos’, terminando sendo procurado pela Interpol, situação da qual o Professor o resgatou. Ele é o mais novo do grupo, tem uma função muito importante, a qual executa bem, mas ao mesmo tempo, comete deslizes que nos fazem repensar sobre sua presença ali e o risco constante de botar tudo a perder. Ele foi o primeiro a ter sua identidade revelada, justamente pela foto de Alison Parker, após uma discussão com Tóquio.

6º – Oslo e Helsinque

Sim, preciso colocar os dois na mesma posição do ranking. Apesar da brutalidade dos sérvios Oslo e Helsinque, o ar de mistério e suas capacidades de seguir as ordens, são atrativos para que nos aproximemos deles. Particularmente, se tivessem até mais destaque nessa primeira parte de La Casa de Papel, acredito que seria interessante. Ou, como eu disse, talvez seja justamente o fato de não sabermos muito, e apenas a realização de seus trabalhos bem feitos, é que fazem suas ‘famas’.

5º – Tóquio

Tóquio La Casa de Papel
(Antena 3/Reprodução)

Tóquio é a narradora da série, mas confesso que até o 13º capítulo não consegui entender muito bem o porquê. Ela não é uma personagem ruim, e também faz bem o seu papel, especialmente com armas, mas seu jeito impulsivo e ‘quebra regras’, acaba colocando todo o grupo em maus lençóis. Claro que quando conhecemos mais sobre ela, entendemos suas atitudes, e acabamos percebendo que ela deveria realmente estar ali, protagonizando seus momentos épicos.

4º – Moscou

Moscou La Casa de Papel
(Antena 3/Reprodução)

Moscou é a parte “fofa”, sempre alegre, contagiando os demais. Dá conselhos, chama a atenção de quem precisa e segue trabalhando. Aliás, tem uma das maiores missões na Casa da Moeda, afinal não será possível saírem sem o túnel. O que o levou ao mundo do crime foi sua condição financeira, se aproveitando de sua capacidade de fazer qualquer coisa com metal e furar bloqueios, viu nisso uma oportunidade de uma ‘vida melhor’.

3º – Berlim

Berlim La Casa de Papel
(Antena 3/Reprodução)

Berlim foi nomeado o responsável pelas ordens no assalto. Ele é um ladrão especializado no roubo de jóias, e entrou no mundo do crime para manter o alto padrão de vida ao qual estava acostumado. É aquele personagem que a gente ama ou odeia. No caso, até o momento, apesar do seu desprezo pela maioria das pessoas e sua brutalidade, ele tem feito bem o seu papel, trabalhando pelo objetivo.

​2º – ​Nairobi

Nairobi La Casa de Papel
(Antena 3/Reprodução)

Nairobi já nos proporcionou excelentes momentos na série​​​. Ele é uma jovem com uma infância difícil, que teve que ganhar a vida fazendo falsificações. Grávida e abandonada por um namorado da adolescência, não viu outra opção, senão o crime. Seu objetivo com o assalto à Casa da Moeda, é recuperar seu filho, do qual ela perdeu a custódia após ser presa. Justamente por estar tão firme, ela se mantém centrada no plano, além de ser bastante animada, nos fazendo até esquecer em alguns momentos que aquilo se trata de um assalto e não de uma festa. Ou como ela mesma diz: “Alegria, festa e ilusão!”.

1º – ‘El Profesor’

El Profesor La Casa de Papel
(Antena 3/Reprodução)

​Clichê, mas não poderia ser diferente. O Professor conquistou ao público, mesmo sendo mais ‘na dele’. Cérebro da operação, autodidata, inteligência superior, observador, são algumas das características que nos fazem admirá-lo. E ver suas ações sempre um passo à frente de todos, ainda que algumas sejam óbvias na série, nos proporcionam momentos muito bons para assistir e vibrar pelos assaltantes. Estou curiosa pela segunda parte, para saber quais serão suas próximas soluções mirabolantes, e seu relacionamento com Raquel (que não tenho uma opinião muito formada sobre).

​Por fim, até agora foi possível ver a construção de cada personagem, seus feitos, seus problemas e a incerteza sobre o fim do assalto​ (ou a certeza, mas com mais momentos de caos protagonizados por todos).​

E para você, como seria o ranking dos personagens?