Diferenças entre Thanos de Vingadores: Guerra Infinita e o dos quadrinhos

O longa mais aguardado de 2018 trouxe o mais importante vilão Marvel para as telonas; que só havia aparecido até hoje em cenas pós-créditos. E como normalmente acontece, foi possível notar diferenças entre o Thanos de Vingadores: Guerra Infinita e o dos quadrinhos.

Guerra Infinita é baseado em HQs da Marvel Comics, porém, para que a trama se encaixe no tempo de tela e seja entendida por todo tipo de público (leitor de HQs ou não), sempre são propostas diferenças entre as duas mídias.

Confira abaixo algumas diferenças entre o Thanos de Vingadores: Guerra Infinita e o dos quadrinhos da Marvel Comics.

Algumas diferenças entre o Thanos de Vingadores: Guerra Infinita e o dos quadrinhos da Marvel Comics!

[Contém spoilers necessários]

Em Vingadores: Guerra Infinita, Thanos demonstra amor por Gamora

Thanos e Gamora criança em Vingadores: Guerra Infinita (2018)
(IMDb/Reprodução)

Em Vingadores: Guerra Infinita, Thanos, o Titã Louco, foi de certa forma humanizado, mostrando, que apesar de também ser insano nas telonas, ele tem mais sentimentos – bem mais do que nas HQs.

No longa, Gamora foi obrigada a revelar a localização da Joia da Alma para salvar Nebulosa. O artefato estava “escondido” em Vormir, e essa era a única das seis que tinha sua localização desconhecida até então.

Em Vormir, Thanos descobriu que para obter a Joia da Alma, precisaria entregar a alma de alguém como sacrifício, com a condição de ser amado(a) por ele.

Gamora até zombou do fato, pois acreditava que o vilão não nutria amor por nada e nem ninguém, mas foi aí que o Titã Louco revelou seu outro lado, demonstrando que sempre amou sua filha adotiva; então, em um ato de desespero a matou enquanto as lágrimas escorriam de seus olhos.

Essa foi uma das cenas mais impactantes e emocionantes de todo o longa.

Já nos quadrinhos ele não nutre qualquer sentimento pela personagem

Thanos X Gamora Marvel Comics
(LowBrowComics/Reprodução)

Nos quadrinhos, Thanos também é pai adotivo de Gamora, a última sobrevivente da raça “Zen Whoberi”, que foi aniquilada por uma ordem religiosa; porém, não nutre qualquer amor verdadeiro pela heroína.

A personagem foi adotada ainda bebê, e quando ainda era apenas uma criança, o Titã Louco evidenciou um pouco de humanidade em sua criação, fazendo com que ela tivesse uma infância normal, comemorando os aniversários e até mesmo os natais com sua filha.

Apesar disso, Thanos não amava de verdade Gamora, seu único objetivo era que ela se tornasse a melhor e mais mortal assassina do universo, agindo como seu braço direito.

Conforme a heroína ia crescendo, o tratamento de seu pai ia ficando cada vez mais frio e distante.

Seu verdadeiro amor – na verdade obsessão – é a Morte, uma das Entidades Cósmicas mais antigas e sábias do universo.

Seu objetivo com as Joias do Infinito em Guerra Infinita

Thanos com a Manopla do Infinito Vingadores: Guerra Infinita (2018)
(IMDb/Reprodução)

Em Vingadores: Guerra Infinita, Thanos tem o objetivo de reunir todas as Joias do Infinito para eliminar metade da população do universo a fim de equilibrá-lo.

Na visão do vilão, os recursos do universo são finitos, e ele está superlotado, tendo bem mais seres do que consegue comportar, e é por isso que existe tanta miséria e desigualdade.

O Titã Louco tem o objetivo de eliminar metade da população existente aleatoriamente, para que os recursos se tornem abundantes e as pessoas possam viver uma vida melhor.

Nos quadrinhos seu objetivo não é tão “nobre” assim

Thanos estalar de dedos
(Superinteressante/Reprodução)

Nos quadrinhos, o Titã Louco também já reuniu todas as seis Joias do Infinito e eliminou metade da população, porém, seus objetivos eram bem menos “nobres” do que em Guerra Infinita.

Ele fez isso não para tornar o universo em um lugar “melhor” e mais “equilibrado”, mas sim para acalmar sua amada Morte, que foi a grande responsável por ele ter ido atrás de tanto poder, e também pelo fato de que ele gosta de matar.

A Manopla do Infinito foi criada por anões do reino de Nidavellir

Thor em Nidavellir Vingadores: Guerra Infinita (2018)
(IGN/Reprodução)

Em Guerra Infinita, a Manopla do Infinito foi forjada pelos anões do reino de Nidavellir, que possuía alguns dos melhores forjadores do universo.

Thanos obrigou os anões a criarem uma luva capaz de canalizar o poder das seis Joias do Infinito; depois de pronta, o Titã matou todos, exceto Eitri (Peter Dinklage).

No Universo Cinematográfico Marvel, a Manopla apareceu pela primeira vez em uma cena pós-créditos de Vingadores: Era de Ultron (2015), sem nenhuma das joias acopladas nela.

Nos quadrinhos, o próprio Thanos criou a Manopla do Infinito

Tanos é o criador da Manopla do Infinito
(Marvel Database – Fandom/Reprodução)

Já nos quadrinhos, a Manopla do Infinito foi criada pelo próprio Titã Louco, e isso só aconteceu depois que ele já havia reunido todas as seis Joias do Infinito.

Ele acoplou as seis em sua enorme luva, e então desenvolveu a Manopla, que por si só não tem poder algum, mas é capaz de canalizar melhor o poder dos artefatos, permitindo que todos sejam usados ao mesmo tempo.

E aí, o que achou das diferenças entre o Thanos de Vingadores: Guerra Infinita e o dos quadrinhos? Acrescentaria mais alguma?

Leia nossa crítica de Vingadores: Guerra Infinita.