Curiosidades sobre o Capitão América

Steve Rogers, codinome Capitão América, é um dos principais heróis do Universo Marvel e também um dos maiores personagens de quadrinhos de todos os tempos – juntando todas as editoras.

Sua primeira aparição aconteceu em um tempo em que o mundo vivia um momento tenso, e ele rapidamente se tornou um símbolo dos Estados Unidos, conseguindo se manter no topo até hoje.

Conheça um pouco mais sobre a história e alguns fatos curiosos sobre esse que é um personagem tão interessante.

32 fatos curiosos sobre o herói Capitão América, alter ego de Steve Rogers:

Um personagem antigo

Captain America Comics #1
(Comic Vine – GameSpot/Reprodução)

O capitão América é um dos personagens – e super-heróis – mais antigos da Marvel Comics (na época chamada de Timely Comics). Sua primeira aparição aconteceu em dezembro de 1940 (embora na capa marque março de 1941), há pouco mais de 77 anos, já estreando seu próprio título: “Captain America Comics #1” (Capitão América Nº 1).

Ele foi criado pelos quadrinistas Joe Simon e Jack Kirby; que foram dois dos grandes autores da “Era de Ouro das Histórias em Quadrinhos”.

Seu nome quase foi “Super American”

Super American
(InsaneJournal/Reprodução)

O Capitão América foi criado quando o mundo vivia um momento tenso, a Segunda Guerra Mundial. A princípio, os Estados Unidos não havia se envolvido no conflito, porém personagens patriotas eram extremamente populares – ainda mais do que hoje em dia.

No esboço original do personagem, havia escrito abaixo dele “Super American” (“Super Americano”), que seria seu nome; mas felizmente Simon mudou de ideia e inventou um nome melhor, pois a palavra “Super” já estava meio batida no mundo dos quadrinhos.

Seu primeiro quadrinho já foi um grande sucesso

Capitão América socando Adolf Hitler
(New Statesman/Reprodução)

O primeiro quadrinho do Capitão América já foi um grande sucesso de cara, tendo superado 1 milhão de cópias vendidas rapidamente. O por que disso? Na capa da HQ de número 1, o herói soca o rosto do ditador Adolf Hitler. A primeira história de Steve Rogers tinha o objetivo de mostrar por que os Estados Unidos deveria se envolver na guerra.

Embora tenha feito grande sucesso entre a maioria do público, o sentimento pró-guerra que o quadrinho representava fez com houvessem alguns protestos contra sua publicação. Devido a isso, os escritórios da editora Timely Comics receberam proteção policial enviada pelo prefeito da cidade de Nova York.

Capitão América é anticomunista

Capitão América X Comunistas
(LeWebPédagogique/Reprodução)

O Capitão América surgiu como um símbolo antinazista, e mesmo após os nazistas terem sido derrotados, ele continuou fazendo sucesso por algum tempo, embora bem menos do que antes – devido a queda da venda de quadrinhos e também por ter perdido o que era sua maior motivação. Com isso, em 1950, sua revista acabou sendo cancelada pela baixa audiência (na edição 75).

Seu retorno aconteceu em 1954, vários anos após a Segunda Guerra Mundial, no período da Guerra Fria. Ele ressurgiu ao lado de seu companheiro Bucky, lutando como um símbolo antincomunista , na HQ de número 76, que foi intitulada: “Captain America… Commie Smasher” (“Capitão América… Esmagador de Comunistas”).

As HQs do Capitão América anticomunista tiveram três edições: 76, 77 e 78, e foram lançadas apenas no ano de 1954. Anos mais tarde, a Marvel inventou uma desculpa de que aquele não era Steve Rogers, e sim um professor PhD em história chamado William Burnside, que fez cirurgias plásticas para ficar parecido com Steve e até mudou seu nome, e um jovem chamado James Monroe, que era obcecado por Bucky. Além disso, William conseguiu criar e ter acesso a sua própria versão do Soro de Supersoldado.

Filho de imigrantes

Joseph Rogers e Sarah Rogers, pais de Steve Rogers
(antiqui•tea/Reprodução)

Steve Rogers é filho de dois imigrantes irlandeses de origem humilde, Sarah Rogers e Joseph Rogers, que se conheceram na Irlanda e imigraram para o Estados Unidos, onde tiveram seu primeiro filho em 4 de julho de 1920 – que se tornaria o futuro Capitão América.

Depois de um tempo por lá, Joseph perdeu seu emprego, e sem conseguir encontrar um novo trabalho se tornou um alcoólatra, o que fez com que ele começasse a abusar de Sarah e Steve frequentemente.

Joseph morreu por volta de 1926 por um ataque cardíaco; e Sarah alguns anos depois de pneumonia, deixando Steve Rogers órfão ainda na adolescência.

O nascimento do Capitão América

O soro do Supersoldado
(Quora/Reprodução)

Desde jovem, Steve Rogers já mostrava um grande senso de justiça, dever, honra e humildade, e assustado com as atrocidades que os nazistas vinham cometendo mundo afora, ele decidiu se alistar ao exército a fim de ajudar seu país de alguma forma; porém foi rejeitado devido a sua fragilidade, o que fez com que ele acabasse entrando para o projeto do Supersoldado, que tinha como objetivo aprimorar a força, a resistência e os sentidos dos soldados.

Logo depois de testemunharem a bravura de Steve, as pessoas envolvidas com o projeto do Supersoldado de 1940 o escolheram como a “cobaia”, onde ele finalmente nasceu como o Capitão América, após ter o soro inserido em seu corpo.

No final da Segunda Guerra Mundial ele acabou tendo seu corpo congelado e ficando em animação suspensa durante vários anos na cronologia dos quadrinhos.

Não é o único Supersoldado

Clinton McIntyre, o Protocide Marvel Comics
(Alchetron/Reprodução)

Embora ele seja o mais famoso, o Capitão América não é o único Supersoldado existente na Marvel; outros personagens também já tiveram o soro (com diferentes variações) injetado em seus corpos; entre eles: Clinton McIntyre, o Protocide; Adriana Soria, a Rainha-Aranha; Isaiah Bradley, o Capitão America negro; Elijah Bradley, o Patriota (neto de Isaiah); Brian Falsworth, o Destroyer; Natasha Romanova, a Viúva Negra; entre outros.

O escudo do Capitão América nem sempre foi redondo

O primeiro escudo do Capitão América
(Portal Do Gibi Nostalgia/Reprodução)

Após se tornar o Capitão América e passar por um intensivo treinamento físico e tático, Steve recebeu um disfarce azul, vermelho e branco, simbolizando a bandeira dos Estados Unidos.

Posteriormente, também ganhou sua ‘arma’: um escudo com as mesmas cores de seu uniforme, e com um design totalmente diferente do que estamos acostumados. No primeiro quadrinho seu escudo era triangular, bem semelhante ao formato de uma pipa.

E nem feito de metal raro

Escudo do Capitão América
(io9 – Gizmodo/Reprodução)

O primeiro escudo do capitão América não foi feito de nenhum metal raro; em sua confecção foi utilizado metal comum da terra mesmo. Assim, ele era bem mais frágil e podia ser quebrado dependendo do impacto.

Seu escudo se tornou redondo por causa de um personagem da concorrente

Shield MLJ Comics
(Junk Food For Thought/Reprodução)

O icônico escudo em forma de disco foi introduzido ainda em 1941, em “Capitão América Nº 2”, pois o primeiro modelo se assemelhava muito ao símbolo de um personagem da concorrente, MLJ Comics (hoje Archie Comics), que tinha também seu próprio super-herói patriota, o Escudo (que foi criado em 1939).

Na época, a MLJ ameaçou entrar na justiça por causa do formato do escudo do Capitão América, o que fez com que sua rival Marvel Comics desenvolvesse outro design já para o segunda edição dos quadrinhos do herói.

Escudo de Vibranium

Escudo de Vibranium Capitão América
(Quora/Reprodução)

Por outro lado, nos quadrinhos, o motivo pelo formato do escudo do Capitão América ter sido alterado é pelo fato de ele ter conhecido T’Chaka, rei de Wakanda e o então Pantera Negra, enquanto realizava missões na Segunda Guerra Mundial.

T’Chaka deu a Steve uma amostra do metal raro Vibranium, que foi levado por ele para os Estados Unidos, e posteriormente utilizado como experiência pelo Doutor Myron MacLain, que forjou acidentalmente o escudo redondo que conhecemos hoje enquanto tentava criar uma liga indestrutível.

Teve sua mente alterada

Steven Grant Rogers
(Pinterest/Reprodução)

Além dos treinamentos corporais, o Capitão América também teve sua mente alterada por um programa experimental de condicionamento mental, que impôs que sua mente aceitasse informações falsas para, caso fosse capturado por inimigos em alguma missão, não pudesse passar informações sigilosas.

Depois de ter sua mente condicionada, Steve acreditava que seu verdadeiro nome era Grant Rogers, que ele tinha um irmão e que seus pais, na verdade, eram diplomatas, e que por isso ele tinha um cargo no exército e havia se tornado o Capitão América.

Depois de algum tempo ele conseguiu se lembrar de sua verdadeira história.

Não é um dos membros fundadores dos Vingadores

Avengers Vol. 1 #1
(How to Love Comics/Reprodução)

Diferentemente do que a grande maioria imagina, devido ao primeiro filme do herói nos cinemas se chamar Capitão América: O Primeiro Vingador, o personagem não foi um dos membros fundadores do grupo de heróis Vingadores; os fundadores foram: Homem de Ferro, Thor, Homem-Formiga, Vespa e Hulk, que se uniram pela primeira vez em “Avengers Vol. 1 #1” de 1963 com o intuito de combater o vilão Loki.

O Capitão América se uniu ao grupo pela primeira vez em 1964 em “Avengers vol. 1 #4”; onde ele enfrentou e ajudou a derrotar o vilão Vuk e Namor. Dessa forma, ele foi convidado para se unir aos Vingadores e se tornou um dos membros renomados da equipe, chegando inclusive a liderá-la.

Outros grupos de heróis

Os Fabulosos Vingadores #1
(Brasil HQ/Reprodução)

Além dos Vingadores, o Capitão América também já fez parte de alguns dos principais grupos de heróis da Marvel, entre eles: Os Fabulosos Vingadores, Esquadrão Vitorioso, Invasores, Defensores Secretos, Novos Vingadores, Vingadores Secretos, Illuminati; entre outros.

O Capitão América já levantou o Mjölnir

Capitão América Mjölnir
(Smallville/Reprodução)

O Capitão América é um dos poucos personagens da Marvel Comics que pode se orgulhar de já ter levantado – mais de uma vez – o Mjolnir, o martelo do deus Thor, que só pode ser carregado por pessoas dignas e de coração puro.

A primeira vez em que o Capitão América levantou o Mjolnir foi em 1998, na edição “Thor Vol. 1 #390”, onde em meio ao combate, após o deus do trovão estar encurralado e sem seu martelo, o Capitão o ergue e o lança de volta para seu dono.

Ele também o levantou novamente na saga A Essência do Medo quando o Mjolnir acidentalmente caiu na Terra.

E também usou a Manopla do Infinito

Capitão América com a Manopla do Infinito
(Comic Book/Reprodução)

Certa vez, uma terra alternativa estava prestes a se chocar com a terra normal, e isso foi descoberto pelo Pantera Negra, que relatou esse fato aos Illuminati, que agora contava com o Capitão América como um dos membros.

Para impedir que a terra fosse destruída, os heróis decidiram utilizar o poder da Manopla do Infinito com todas as 6 Joias do Infinito, e o Capitão América foi o escolhido para usar tal poder.

Ele empunhou a Manopla para tentar impedir a colisão entre os dois planetas, mas o poder foi tanto que a Manopla acabou sendo destruída, assim como cinco das Joias, exceto a do Tempo.

Após a Manopla ser destruída, restou apenas uma opção para salvar a terra comum, que seria destruir a alternativa. O Capitão América não concordou com esse plano e teve sua mente apagada.

Estrelou um seriado em 1944

Capitão América (1944)
(História do Brasil e do Mundo/Reprodução)

No auge de sua popularidade, o Capitão América estrelou seu próprio seriado em preto e branco:”Captain America”, que foi produzido pela Republic Pictures durante a Segunda Guerra Mundial.

Isso aconteceu há mais de 70 anos, no ano 1944, com o herói sendo interpretado pelo ator Dick Purcell, que precisava deter o vilão Escaravelho para salvar o dia.

Apesar de o Capitão América poder se orgulhar de tal feito, pois foi o primeiro da Marvel a ganhar sua própria série, ele não tem tantos motivos para se orgulhar do enredo do seriado de 15 episódios, pois mesmo sendo inspirado no herói dos quadrinhos, ele possuía diversos – para não dizer todos – aspectos diferentes, desde o nome do personagem que era Grant Gardner, em vez de Steve Rogers, à sua ocupação, que era Promotor de Justiça na série, enquanto nas HQs Steve é soldado das Forças Armadas Americanas.

Além disso, ao invés de um escudo, o herói usava uma arma normal, o nazismo não faz parte da história, nem o soro do Supersoldado, entre outras coisas.

E dois telefilmes em 1979 e um filme em 1990

Capitão América (1979) e (1990)
(IMDb/Reprodução)

No ano de 1979, a emissora CBS lançou dois telefilmes sobre o herói, que foi interpretado pelo ator Reb Brown; Captain America (janeiro), e Captain America II: Death Too Soon (novembro).

Em 1990, o herói estreou um filme intitulado “Captain America”, que foi estrelado pelo ator Matt Salinger no papel principal. O filme nunca foi lançado nos cinemas, sendo vendido apenas em VHS e lançado em 2011 em DVD.

Captain America é considerado tão ruim, que a Marvel agradece pela maioria do público não conhecê-lo. Sua média no IMDb é 3,3 de 10, e mesmo a maioria dos fãs mais fervorosos do personagem detestam o filme.

Falcão, o primeiro super-herói afro-americano da Marvel

Captain America #117
(Marvel Database – Fandom/Reprodução)

O personagem Falcão, codinome de Sam Wilson, foi o primeiro super-herói afro-americano da Marvel a aparecer em um quadrinho. Isso aconteceu na edição “Captain America #117”, lançada em 1969. Desde então, Sam e Steve se tornaram bons amigos, atuando juntos em várias missões.

Os dois chegaram até a ganhar um quadrinho em dupla; Capitão América e o Falcão.

Bucky Barnes foi seu companheiro e pupilo

Capitão América e seu pupilo, Bucky Barnes
(Comic Vine – GameSpot/Reprodução)

Um dos grandes amigos e aliados do Capitão América é Bucky Barnes, o Soldado Invernal. Os dois se conheceram durante a Segunda Guerra Mundial, quando Bucky era apenas um adolescente e mascote de um acampamento militar.

Bucky descobriu acidentalmente a verdadeira identidade secreta do Capitão América e pediu para se juntar ao herói como seu companheiro. Ele se tornou o pupilo de Steve Rogers, que o treinou com a finalidade de enfrentar nazistas.

Juntos os dois viveram grandes aventuras, assim como alguns traumas.

Já usou outros codinomes

Captain America #307
(Marvel Database – Fandom/Reprodução)

Além de Capitão América, Steve Rogers também já usou outros codinomes em algumas vezes, pois apesar de ter sido criado para ser um personagem patriota e nacionalista, ele também já se desapontou em diversos momentos com o governo norte-americano, mudando seu nome de herói para que não ficasse associado a ele.

Entre os vários outros codinomes que ele já utilizou, estão: Nômade, O Capitão, Homem sem Pátria, Super-Soldado; entre outros.

Steve Rogers e seus romances

Sharon Carter e Capitão América
(Collider/Reprodução)

Steve Rogers coleciona alguns romances em suas várias aparições nos quadrinhos da Marvel, sendo os mais famosos com a personagem Peggy Carter, que ele conheceu durante a Segunda Guerra Mundial, e com a sobrinha de Peggy, Sharon Carter, Agente 13 da S.H.I.E.L.D. que ele conheceu algum tempo depois de ser descongelado.

Em conclusão, as Carter são as mulheres preferidas na vida de Steve, mas além delas, ele também já viveu romances com outras personagens: Vespa (no Ultimate Marvel), Feiticeira Escarlate, Cascavel, Bernie Rosenthal; entre outras.

Guerra Civil e os Vingadores Secretos

Civil War #1
(GreekComics/Reprodução)

Um dos arcos mais famosos da Marvel Comics, Guerra Civil, retrata bem as constantes diferenças entre os ideais do Capitão América e do governo norte-americano, fazendo com que os conflitos entre ambas as partes se intensifiquem ainda mais quando o governo tentou impor uma Lei de Registro de Super-Humanos, que obrigava os seres com superpoderes a se registrarem e compartilharem informações pessoais ao governo.

Enquanto o Homem de Ferro ficou do lado do governo, liderando outros heróis que concordaram com a iniciativa, o Capitão América se opôs, pois acreditava que aquilo ia contra a liberdade que ele tanto pregava, se tornando a resistência, e criando os Vingadores Secretos, que lutaram contra a ordem de registro, dando início à Guerra Civil.

Os Vingadores Secretos lutaram contra o ato de registro e ajudaram outros heróis e vilões a escaparem do país ou a se esconderem, e posteriormente enfrentaram o Homem de Ferro e seus aliados. Prestes a se sair vitorioso, o Capitão América acabou desistindo e ordenando que seus seguidores fizessem o mesmo quando percebeu que os humanos comuns estavam do lado do Homem de Ferro, porque no final das contas, eles tinham medo do poder dos heróis, e muitos deles estavam sendo machucados pela guerra entre os dois grupos.

O arco Guerra Civil fez o Homem de Ferro se tornar um dos personagens mais odiados da Marvel na época.

Foi assassinado

A morte do Capitão América
(Pinterest/Reprodução)

Após o arco Guerra Civil, depois de sua rendição, Steve Rogers foi acusado de vários crimes, ficando sob custódia e com seus movimentos limitados devido aos equipamentos usados para prendê-lo.

Aproveitando esse momento de “fragilidade” do herói, o vilão Caveira Vermelha orquestrou um plano para matar o Capitão América quando ele estivesse sendo levado a julgamento por suas ações criminais no tribunal, colocando o vilão Ossos Cruzados como um atirador posicionado em lugar estratégico.

Quando Steve Rogers chegou ao cartório federal, ele foi surpreendido com um tiro disparado por Ossos Cruzados. Além disso, o Doutor Faustus havia se infiltrado como psiquiatra da S.H.I.E.L.D., manipulando Sharon Carter e implantando em sua mente uma sugestão hipnótica que a fez atirar no estômago e no peito de Steve algumas vezes.

Ele foi levado ao hospital às pressas, mas infelizmente não resistiu aos ferimentos.

E renasceu

Captain America Reborn #1
(Marvel Database – Fandom/Reprodução)

Depois de sua morte, o verdadeiro corpo de Steve Rogers foi velado secretamente, e mais tarde descobriu-se que apenas seu corpo físico havia morrido, porém sua essência estava “trancada” em um ponto fixo no espaço e no tempo, fazendo com que sua mente ficasse viajando pelo tempo e revivendo acontecimentos de sua vida. Depois de alguns eventos, ele conseguiu retornar à vida e retomar seu corpo e o manto de herói em Capitão América: Renascimento (2009).

Amigo do Deadpool

Deadpool e Capitão América
(Reed Comics/Reprodução)

Wade Wilson, o Mercenário Tagarela, Deadpool, é um homem de poucos amigos, e uma das pouquíssimas pessoas por quem ele nutre verdadeiro respeito é Steve Rogers, pelo fato de o Capitão América ser seu grande herói de infância.

O respeito é recíproco, pois o Capitão também gosta do Deadpool. Os dois personagens compartilham algumas coisas em comum, uma delas é a forma em que ganharam seus poderes, que surgiram através de experiências.

Steve Rogers não é o único Capitão América

Sam Wilson (Falcão) - Capitão América
(Pinterest/Reprodução)

Apesar de ser o principal e o mais conhecido, Steve Rogers não é o único personagem que já vestiu o manto de Capitão América. De acordo com a história, outros personagens também já assumiram o nome do herói; entre eles: Bucky (Soldado Invernal), Sam Wilson (Falcão), William Naslund (Espírito de 76), William Burnside; etc.

Capitão América já lutou contra o Batman

Capitão América X Batman no esgoto
(Comic Vine – GameSpot/Reprodução)

Em um crossover entre a DC Comics e a Marvel Comics (DC vs. Marvel de 1996), o Capitão América enfrentou nada mais nada menos que o Batman, onde os dois lutaram em um esgoto.

A batalha entre entre eles foi interrompida devido a uma inundação no esgoto, e o resultado da luta foi decidido pelos fãs, fazendo com que o Batman se sagrasse o grande campeão. Ainda, na mesma série, o Capitão América derrotou Bane, um dos principais inimigos do Homem Morcego.

Em um outro crossover, Liga da Justiça/Vingadores (de 2003), o Batman voltou a citar o combate, dizendo que o Capitão América talvez pudesse derrotá-lo, mas que levaria um bom tempo para isso.

Desenhista e Multilíngue

Steve Rogers trabalha como freelancer
(not a hoax! not a dream!/Reprodução)

Steve Rogers não possui talentos apenas como herói, ele também tem uma grande habilidade artística que desenvolveu desde quando criança, trabalhando frequentemente como um ilustrador freelancer. E mesmo após se tornar o Capitão América, ele ainda continua gostando de desenhar, fazendo isso em seu tempo livre.

Além de um talentoso desenhista, Rogers ainda é multilíngue, sendo fluente em inglês, alemão, russo, espanhol, japonês, francês, italiano, e algumas outras línguas.

O primeiro quadrinho do Capitão América vale uma fortuna

Primeiro quadrinho do Capitão América vale uma fortuna
(O Vício/Reprodução)

A edição número 1 dos quadrinhos do Capitão América é uma verdadeira raridade, podendo chegar a valer centenas de milhares de dólares em leilões caso esteja em boas condições, como é o caso do exemplar vendido em 2011 (que estava com a condição 9.2), que foi comprado por nada mais nada menos que US$343 mil (mais de 1 milhão e 120 mil reais na cotação atual do dólar).

Poderes e Habilidades

Capitão América superpoderes
(eBaum’s World/Reprodução)

O Capitão América teve seus poderes e habilidades adquiridos graças ao Soro do Supersoldado, que aumentaram suas funções corporais ao máximo do potencial humano.

Entre seus poderes estão: força, durabilidade, agilidade, velocidade, reflexos e resistência humana máxima; cura acelerada, sentidos de visão, audição, olfato, paladar e tato aprimorados, e envelhecimento retardado.

Ele ainda é mestre em várias artes marciais e combate corpo-a-corpo, um grande estrategista, acrobata, um grande motorista, sendo capaz de comandar carros, motocicletas, caminhões, jatos, petroleiros, helicópteros, lanchas, submarinos, etc; entre tantas outras habilidades.

Chris Evans não é mais o Capitão América no Universo Cinematográfico da Marvel

Capitão América: O Primeiro Vingador (2011)
(IMDb/Reprodução)

Nos cinemas, o Capitão América é interpretado pelo ator Chris Evans desde 2011, que estreou como Steve Rogers no longa Capitão América: O Primeiro Vingador.

Desde então, Chris Evans já apareceu em inúmeros filmes da Marvel interpretando o personagem: Os Vingadores (2012); Capitão América 2: O Soldado Invernal (2014); Vingadores: Era de Ultron (2015); Capitão América: Guerra Civil (2016). Além de algumas participações especiais em outros longas do UCM.

Bem como estará presente em Vingadores: Guerra Infinita (2018) e Vingadores 4 (2019), onde interpretará o Capitão América pela última vez. A informação foi revelada pelo próprio ator, que disse em uma entrevista em 2017 que seu contrato com a Marvel chegou ao fim.​

Qual curiosidade foi a sua preferida sobre o Capitão América?