Vingadores: Guerra Infinita Crítica

Dirigido pelos irmãos Russo, Joe e Anthony, Vingadores: Guerra Infinita (Avengers: Infinity War) era o lançamento mais aguardado de 2018.

Ele é o 3º filme da franquia Vingadores. O primeiro longa foi lançado em 2012, e reuniu pela primeira vez alguns dos mais icônicos personagens Marvel; já em Vingadores: Era de Ultron (2015), Tony Stark (Robert Downey Jr.) tenta alavancar um programa de paz virtual que dá errado, e os maiores heróis da Terra enfrentam o teste definitivo enquanto o destino do planeta está em jogo.

Vingadores: Guerra Infinita traz um extenso grupo de heróis Marvel ‘unidos’ para combater o maligno Thanos. Confira a crítica dividida em tópicos sobre o que esperar do filme.

Vingadores: Guerra Infinita | Análise

Premissa

Thanos surge avisando que “o fim está próximo”, amedrontando o grupo de heróis, ainda dividido desde os acontecimentos de Capitão América: Guerra Civil. O vilão está colocando seu plano de coletar as Joias do Infinito em prática.

Com elas, ele seria capaz de eliminar metade da população do universo que, segundo ele, está superlotado, e seu grande objetivo é “salvar” a metade que sobrar.

Personagens

A concepção de universo compartilhado é realmente colocada em prática no longa. Em seus 156 minutos, a cada momento nos é apresentado novos heróis, que se ‘juntaram’ em grupos: extraterrestres (Guardiões da Galáxia), guerreiros africanos (Pantera Negra), o amigo da vizinhança (Homem-Aranha), entre outros; e também vilões (Ordem Negra), que cumpriram bem o papel nas cenas de ações, mas sem grande profundidade.

Por se tratar de um número bem grande de personagens para pouco tempo de tela, nem todos tiveram visibilidade. Isso para alguns fãs, que gostariam de ver seus heróis preferidos em ação, pode ser um problema, mas para o desenvolvimento do longa, foi algo positivo.

Viúva Negra em Wakanda - Vingadores: Guerra Infinita
(IMDb/Reprodução)

Outro ponto de destaque é que a personalidade dos heróis foi respeitada de acordo com o que já vinha sendo trabalhado há anos no UCM: os mais sérios continuaram sérios, e os mais descontraídos, vira e mexe soltavam uma de suas piadas, mesmo em momentos de tensão; mas nada exagerado como aconteceu em algumas outras produções.

Alguns personagens surpreenderam positivamente, como: Thor, Doutor Estranho, Senhor das Estrelas e mais, enquanto outros deixaram a sensação de faltar algo, especialmente na batalha em Wakanda (que é vista no trailer de divulgação).

Como curiosidade, confira o elenco completo:

Personagem Ator/Atriz
Thanos Josh Brolin
Tony Stark/Homem de Ferro Robert Downey Jr.
Stephen Strange/Dr. Estranho Benedict Cumberbatch
Capitão América Steve Rogers
Thor Chris Hemsworth
Bruce Banner/Hulk Mark Ruffalo
Natasha Romanoff/Viúva Negra Scarlett Johansson
T’Challa/Pantera Negra Chadwick Boseman
Peter Parker/Homem-Aranha Tom Holland
Peter Quill/Senhor das Estrelas Chris Pratt
Gamora Zoe Saldana
Visão Paul Bettany
Wanda Maximoff/Feiticeira Escarlate Elizabeth Olsen
Sam Wilson/Falcão Anthony Mackie
James Rhodes/Máquina de Guerra Don Cheadle
Drax Dave Bautista
Loki Tom Hiddleston
Pepper Potts Gwyneth Paltrow
Okoye Danai Gurira
Bucky Barnes/Soldado Invernal Sebastian Stan
Nebula Karen Gillan
Colecionador Benicio Del Toro
Mantis Pom Klementieff
Wong Benedict Wong
Cindy Tiffany Espensen
Sally Isabella Amara
Shuri Letitia Wright
M’Baku Winston Duke
Fauce de Ébano Tom Vaughan-Lawlor
Anão Negro/Groot Jovem Terry Notary
Proxima Midnight Carrie Coon
Eitri Peter Dinklage
Red Skull Ross Marquand

Vilão

Thanos é o grande vilão da Marvel. O personagem foi introduzido no primeiro filme dos Vingadores, aparecendo em uma das cenas pós créditos, onde descobrirmos que ele foi o responsável pelo ataque à Terra liderado por Loki.

Desde que o primeiro filme da Marvel, Homem de Ferro (2008), foi lançado há 10 anos, a editora sempre teve o objetivo de preparar o terreno para que o Titã Louco chegasse com tudo às telonas.

Thanos em Vingadores: Guerra Infinita
(IMDb/Reprodução)

Em Vingadores: Guerra Infinita o vilão conseguiu roubar a cena, e é o grande protagonista da trama, fazendo com que o filme seja o mais sério e sombrio de toda a história do Universo Cinematográfico Marvel, pois Thanos pode colocar em cheque metade da existência, e fazer com que os heróis mais destemidos, pela primeira vez, ficassem verdadeiramente com medo do que estava por vir.

Design, CGI e Trilha Sonora

O CGI – imagens geradas por computador – do Thanos é um dos melhores já vistos nos últimos filmes Marvel. Um dos pontos que colaboraram para isso, certamente foi a redução de tempo de tela do Hulk, a fim de se dedicar ao vilão. Em diversos momentos, é possível até mesmo ‘esquecer’ que ele se trata de CGI.

O design de produção também traz detalhes sensíveis e pensados, tornando os personagens mais reais, até mesmo os impensados como “comuns” de ser encontrados.

De modo geral, os efeitos especiais estão muito bons, deixando a desejar em pouquíssimos momentos (como quando o Homem de Ferro está sem seu capacete, ou quando Bruce Banner abre o Hulkbuster, por exemplo).

Entre os filmes Marvel, Guardiões da Galáxia é o que melhor trabalha sua trilha sonora, contribuindo bastante para o desenvolvimento das cenas e marcando momentos importantes. Já em Vingadores: Guerra Infinita, a trilha é boa, mas simplesmente está ali, sem necessariamente surpreender, especialmente em momentos impactantes.

Análise geral

Vingadores: Guerra Infinita é, sem dúvida, um grande filme da franquia. Com destaque positivo especialmente para o vilão, que vinha sendo um dos pontos fracos da Marvel Studios nos últimos anos; o que havia sido de certa forma “resolvido” com o lançamento de Pantera Negra (2018), que trouxe o grande Erik Killmonger (Michael B. Jordan).

É um filme organizado, com dramas pontuais, piadas e diálogos bem engraçados, motivações e progressões de conflitos interessantes; e algumas cenas que podem até mesmo emocionar o espectador.

Vingadores: Guerra Infinita nunca desacelera, mantendo sequências de encontros e desencontros e combates corpo a corpo a todo momento, que funcionam muito melhor que em Capitão América: Guerra Civil, por exemplo, e consegue surpreender com acontecimentos inesperados e sombrios.

O próximo filme, Vingadores 4, tem data de lançamento prevista para 3 de maio de 2019.

REVER GERAL
Vingadores: Guerra Infinita | Crítica